quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Origem


Há um local onde tudo nasce
alguns diriam, na mente
mas não.

Pensamos que tudo vem de uma ideia
quando na verdade
vem do coração.

Há um coração de fogo em cada canto do mundo
consequentemente, do universo. 

Nas palavras, descortinadas, cantadas 
nas entrelinhas, impronunciadas
no choro do bebê, no pedido das calçadas
no riso do patrão e no choro da empregada.

Existe um pulsar de energias inimagináveis
em cada átomo.

Nas estrelas que surgem e se acabam
transformando-se em universos
em mim e em você
 no tudo que a gente vê.

Há um foco do fogo original no centro de tudo
pedindo para se expressar.

Ele vive até onde pensamos que apagou
queimando nas entranhas da terra
evaporando águas turvas
 alimentando-se do vento.

Impulsionando e transformando-nos 
no mais precioso elemento.

Desejos não deveriam ser deixados de lado
são material bruto a serem lapidados
moldados pelo fogo puro 
do nosso coração.

Tudo surge, continua ou se acaba
dentro de você.


Joakim Antonio


Desejo a todos um Feliz Natal, e que em meio a tantas festas de presentes comprados, as vezes até exigidos, encontrem um momento para olhar dentro de seu próprio coração, descobrindo seu verdadeiro desejo. Desejo sincera e verdadeiramente de que todos nos tornemos melhor a cada dia.

Gezur Krislinjden - Frohe Weihnacht - Shenoraavor Nor Dari yev Pari Gaghand - Nedeleg laouen - Bon Nadal - Chuk Sung Tan - Čestit Božić - Feliz Navidad - Gajan Kristnaskon - Hyvää joulua - Joyeux Noël - Kala Christougena - Kellemes Karácsonyt - Merry Christmas - Buon Natale - Merii Kurisumasu - Kung His Hsin Nien - GOD JUL - Buon Nadal - Wesołych Świąt Bożego Narodzenia - Feliz Natal - Sarbatori Fericite - Sprazdnikom Rozdestva Hristova - Klidné prožití Vánoc - God Jul - Srozhdestvom Kristovym

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Plágio

Hoje peço licença para colocar um texto de outro autor.



PLÁGIO

A internet possibilita um mundo de opções aos plagiadores, em contrapartida são facilmente desmascarados pela mesma. As vezes fico pensando, o que leva uma pessoa a plagiar um texto, um blog inteiro?

Plágio pra mim é uma forma deturpada de admiração.
A pessoa se emociona com o que lê, mas se sente inferior ao admitir sua incapacidade criativa,ou pior, se sente ofendido ao promover um texto que não escreveu, por isso, esconde o verdadeiro autor.
Deve ser muito triste não ter nada de "seu" pra contar.

Existem textos lindos por aí, que quando leio penso - poxa eu queria ter escrito isso, é natural, é humano, então repasso aquele encantamento publicando no Cítrico com os devidos créditos obviamente.
Algumas vezes sei que aquele autor nem me conhece, mas eu o conheço, eu me misturei ao que ele estava sentindo naquele dia, me emocionei, me identifiquei.

Dividir sentimentos, admiração, publicando textos de outros autores é uma forma de dizer obrigada por falar por mim mesmo sem me conhecer e obrigada ainda mais, por dividir comigo um pedacinho do seu mundo.


Falta de criatividade é o mesmo que usar roupa emprestada
nada do que você mostra é realmente seu.

Renata Fagundes 

Texto Plágio retirado do Blog Citrico Cintilante da Escritora Renata Fagundes

Para completar, deixo aqui a melhor resposta que já li até hoje para um plagiador, retirado da Wikipédia no verbete Plágio

Viena, 1931: carta a um plagiário

Prezado Senhor,

Foi surpresa verificar que resolveu publicar a minha humilde estória, "O imperador José e a Prostituta", tal como a escrevi, com o acréscimo das três palavras: "Por Anton Kuh" , na publicação Querschnitt. Honra-me sem dúvida o fato de sua escolha ter recaído na minha estorinha, quando toda a literatura mundial desde Homero se encontrava à sua disposição. Teria gostado de retribuir na mesma moeda, mas depois de examinar toda a sua obra, não encontrei nada que tivesse vontade de subscrever."  Egon Friedell

Obrigado pela atenção, amanhã voltaremos em outro horário, mas nesse mesmo canal ;)

Abraços e ótimo fim de semana a todos. 

Joakim Antonio

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Na madrugada



A madrugada canta enquanto a maioria dorme.

Há uma TV ligada na sala
uma criança pedindo comida na rodoviária
uma fatia de pizza fria, esquentando, na mesa de centro.

Por um momento alguém pisca e se move
um vigia, tremendo,  passa apitando em sua moto
um último suspiro sai do cobertor feito de notícias banais.

Algumas centenas de pets descem rio abaixo
centenas de árvores antiquíssimas morrem rio acima
centenas desejam algo acima e abaixo de seus corpos.

Em algum lugar luzes são acesas
algum índio teima em continuar sendo
algum civilizado percebe-se deixando de ser.

Velas continuam à queimar
continuam a lhe dar novos pavios
continuam a iluminar independente da forma.

Por vários séculos há vozes mudas
vários avisos sendo exaustivamente escritos
vários devaneios sendo sacramentalmente aceitos.

Eles escrevem o algo que você vê
escrevem o nada que, parece, não existe
escrevem, sobretudo, o que outros não querem perceber.

Há luzes acesas na madrugada, os escritores, sonhando acordados.


Joakim Antonio

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Ideias



Queria compreender o todo
melhorar o mundo 
fazendo parte
de tudo 
desejou muito
a ponto de ser
prontamente atendido
  
Foi atingido por um raio
feito em pedaços
tão pequenos 
que diziam 
 pul
ve
ri
zou
virou nada
 só que não morreu 
agora estava totalmente 

L     I     V     R     E

agora ele era
  
IDEIAS



 Joakim Antonio




terça-feira, 23 de novembro de 2010

Compreensão



Sento-me, calma mente, inspiro
ex-vazio, completa mente, expiro
contemplo, curiosa mente, inspiro
sinto, prazerosa mente, expiro

Ouço o canto de pássaros, levanto
sendo levado pelo vento, ando
o topo da árvore me chama, subo
há um grande ninho de galhos, durmo

Inspiro natureza limpa, crua
expiro pensamentos soltos, sujos
inspiro emoção primitiva, pura
expiro necessidades, impuras

Acordo, vejo tudo diferente
desço, sinto a terra firme nos pés
retorno, o sol em pleno zênite
sento, e compreendo, não há limites

Escrevo na folha de todas árvores
provo da comida de todo mundo
tomo banho em todas nossas águas
respiro todo ar que envolve tudo

Somos embalados por todas mães
de todas crianças, somos os pais
andamos todos pelas mesmas vias
corpos diferentes, mentes iguais

Não há esfera de palavras novas
há novo olhar sobre cores antigas
verde cintilante é puro amor
com versos laranjas escrevo vida



Joakim Antonio


domingo, 14 de novembro de 2010

Som da palavra



Tem som divino
instiga o povo
compõe sermões
fala pelos ladrilhos
ou simplesmente aquieta
se fecha atras da porta, abrindo janelas
na mente, na alma, no céu escuro da noite
solta palavras quentes como açoite
que batem nas costas e queimam na alma
por ela
a mortal língua que nunca cala
se prende ou solta
sanguinária
atirando
mirando no nada
e às vezes
acertando o tudo
subindo pelo túnel
transpassando o abismo
e voltando a ser
menino
ouvindo o som do começo
o verbo que sibila em labaredas de energias
inimagináveis
tão fortes
tão frágeis
passeando pelos caminhos
como possuísse algo nos pés
nova face em cada era
mas reconhecidos
por olhares
risos
passos
intensidades
provocando-nos
viradas de cabeça
ao ouvir a simples palavra

POETA

Joakim Antonio

Foto: estátua de Ferdusi 

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Na-linha


Nome da mãe
sobrenome do pai
nomes fantasias
apelidos habituais

Página pessoal
nick do twitter
endereço virtual
nome de boutique

Vida auditada
palavras, digitais
fotos em revista
desfile de jornais

Todos são notícia
acontecimentos banais
Hora da comida?
Intervalos comercias

Joakim Antonio  

domingo, 31 de outubro de 2010

Uni versos


No universo das rimas
sob o efeito das métricas
surgem novos versos únicos
com qualidades diversas

Rimando sons diversos
metrificando efeitos
unificando os versos
retificamos seus feitos

Enfeitando-me de versos
canto antigos defeitos
superados no presente
serão futuros perfeitos

A força está na vontade
o mental vive da prática
nossa vida é contada
unir verso é matemática

Joakim Antonio 

domingo, 24 de outubro de 2010

Necessidades


Notas soltas
em dissonância
buscando-se
necessitando cantar

Pássaros protegidos
gaiolas bonitas
encantando-se
necessitando voar

Árvores sufocadas
reservas ínfimas
enraizadas
necessitando respirar

Mares abertos
águas poluídas
misturando-se
necessitando chorar

Animais selvagens
guerras financeiras
consumindo-se
necessitando pensar

Seres, ainda, vivos
natureza mista
digladiando-se
necessitando respeitar

Joakim Antonio

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Traços



Linhas temporais
pedaços marcados
passos vividos
desenhos tatuados

No espírito, sob
Na pele, sobre

Imagens difusas
cenas antigas
cidades novas
platéias repetidas

Caminho torto, certo
Atalho incerto, reto

Jogos de guerra
migalhas no caminho
batalhas perdidas
labirintos vencidos

Rugas de choro, por
Vincos de sorriso, para

Traçando histórias
destinos traçados
traços perfeitos
contornos tracejados

Vivendo, traçadas linhas
Fazendo, delineados traços

Joakim Antonio


Imagem: Trace of ink © Grzegorz Wolczyk



segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Protegido


Sonhei que era um adulto bem sucedido, ao acordar lia o jornal, consultava o tempo, arrumava as roupas para dia, tarde ou noite, dependia da volta e do temperamento. Ao abrir o armário roupas de frio e calor, capa de chuva, guarda chuva, guarda sol, linha de pesca e anzol, blusas, botas, luva, cachecol, lenços, meias, gravatas de seda, terno de linho, camisas, camisetas. Tudo bem passado e separados, por cor, estação, novas, velhas e até as que iam para doação.

Ligava o rádio com o som bem alto, para poder escutar sobre o maldito trânsito e ia para o chuveiro, banho em cinco minutos, dez se fizesse a barba, para não gastar muita água, antes de entrar ligava a cafeteira, previamente preparada na noite anterior, ao vestir a roupa tomando o café fresquinho, ligava a TV para ouvir se não havia nenhuma greve, rebelião, assalto, sequestro ou algum tipo novo de violência gratuita, precisava estar preparado, pois a vida não é fácil.

Durante o dia ficava de olho nas cotações, bolsas de valores, câmbio, fundos, índices econômicos, tinha que ficar atento, podia perder tudo a qualquer momento, coração acelerado, ganhava, perdia, mas no fim disso tudo o dinheiro crescia. No almoço comia um lanche, senão a dor de estômago me matava, pensava em procurar um médico nessa hora, me sentia frio, suava, mas sempre passava, depois eu irei, eu pensava.

Corria para o escritório, debaixo de um sol que torrava, encontrava o elevador cheio e subia pelas escadas, retirava a gravata no caminho, colarinho todo molhado, entrava porta adentro e me sentia no paraíso, ar condicionado fresquinho, água gaseificada e gelo a vontade, tudo do jeito que eu sonhava, menos os espirros mais tarde.

Telefone começava a tocar, e-mail chegando, confirmava compromissos, remarcava imprevistos, atendia celular, escrevia no Twitter, Orkut, Facebook, o Messenger sempre aberto, conferência no Skype, pensando no chegar em casa para continuar minha Pós-graduação online.

Dentro do meu escritório minúsculo, não me sentia sozinho, contava com milhões de amigos na frente do meu PC. Secretária para quê, eu pensava, era mais uma despesa que economizava. Nunca usei office-boy, nem mesmo ia ao banco, contas no débito automático, compras entregues na portaria, frutas sempre fresquinhas que o mercado mesmo escolhia.

Mas hoje me senti estranho na hora de sair, estômago doeu, mas não tinha fome, pescoço endureceu, braço adormecendo, o peito doeu de um jeito que me fez gritar de imediato, mas o som não saiu, a impressão é de que a garganta secou e a língua dobrou de tamanho. Nunca desejei tanto alguém junto de mim, seria derrame ou infarto, não interessava, só me arrependi de estar sozinho no meu fim.

De olhos fechados ouvi a porta abrindo, senti o calor da luz acesa nas pálpebras, senti a vibração dos passos de alguém aproximando-se, até que uma voz disse firme e convicta: "acorda e levanta".  Abri os olhos rapidamente, todo suado, ofegante e ao olhar para cima vi um gigante, forte, esbelto, todo de branco, de braços abertos, me estendendo a mão e logo após pegando-me no colo, abraçando de um jeito tão terno, que gostaria que o abraço fosse eterno.

Ele me disse, agora está tudo bem, calma, abracei-o mais forte, as lágrimas rolaram, tudo bem?, balancei a cabeça que sim, o que lhe afligia acabou, tudo foi apenas um sonho com final ruim, minhas lágrimas pararam e senti sua mão enxugando e acariciando meu rosto, você sempre será meu menino e quero que me prometa manter para sempre seu coração de criança, concordei balançando a cabeça, ele me deu um beijo e disse, agora durma em paz.

Foi saindo de mansinho e antes que ele acabasse de fechar a porta eu disse bem alto, PAI, ele me fitou com seus olhos brilhantes, um sorriso do tamanho do universo e com aquela sabedoria que só os pais têm disse, eu já sei filho, fechando a porta devagarinho:  "Eu também te amo"!


Joakim Antonio


Imagem: Thankful Blessing by Ben Heine

domingo, 25 de julho de 2010

Aos escritores


Escreve achando que não há nada a dizer
diz brincando o mais difícil de se explicar
nos traz para seu mundo e seu jeito de ser
suas palavras, tiram do chão, fazem voar

Pode falar sobre algo que irá acontecer
ou coisas vistas durante seu caminhar
e por mais simples que se possa parecer
nos fazem refletir, chorar, sorrir, sonhar

Histórias de amores viram contos de fada
a morte do vilão traz lição de moral
e estradas de tijolos nos levam pra casa

Na minha vida, devo muito aos escritores
que tornaram o dia-a-dia especial
e me fizeram viajar, nas mil e uma noites 


Joakim Antonio


Parabéns a todos escritores!

25 de julho foi definido como dia nacional do escritor por decreto governamental, em 1960, após o sucesso do I Festival do Escritor Brasileiro, organizado naquele ano pela União Brasileira de Escritores, por iniciativa de seu presidente, João Peregrino Júnior, e de seu vice-presidente, Jorge Amado. Fonte

terça-feira, 20 de julho de 2010

Classificados da Amizade

Oferece-se

Amigo para quando achar que nada está dando certo, para conselhos que nem ele segue, mas são os que você precisa ouvir, dizer besteiras que faz pensar como se tornaram amigos ou simplesmente para relaxarem juntos e passarem bons momentos.

                                                                      

Procura-se

Amigo que não tenha medo do desconhecido, nem de proximidade de mais amigos, que alegre-se com o sucesso do outro, pois entende que quando o ser humano vence, todos nós vencemos. Não é necessário saber nadar, nos mares da adversidade, aprenderemos juntos.

                                                                     

Vagas abertas


Curso de aperfeiçoamento, onde se vivenciarão situações que colocam à prova as amizades. Aulas práticas de reencontros e abraços, situações tristes e alegres, perdão e recomeço. Aula bônus - Como gravar amizades em pedra. Duração: A vida inteira.


                                                                      

Notícia de última hora

Capturada foto de nuvem confirmando, que a partir de hoje o tempo estará bom para novas amizades!




Hoje, 20 de julho, se comemora o dia internacional do amigo. A data foi criada pelo argentino Enrique Ernesto Febbraro. Ele se inspirou na chegada do homem à lua, em 20 de julho de 1969, durante um ano, o argentino divulgou o lema:

"Meu amigo é meu mestre, meu discípulo é meu companheiro".


Não precisamos de datas para comemorar uma amizade, mas já que ela existe.

Feliz dia do amigo e da amizade para todos!

"E com certeza eu posso dizer que sem amigos como vocês, a vida seria apenas silêncio"  - Joakim Antonio

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Força da natureza


Mulher é tempestade que chega, trazendo em seu íntimo, forças incomensuráveis.

Tempestade de raios que se espalha, onde passa deixa seu rastro, onde cai finca sua marca e somente o homem sem medo do trovão, poderá usufruir dessa força mutável que ao atingir-nos, para o coração por um ínfimo e no instante seguinte nos energiza, nos enfeitiça.

Possuídos, sentimos quando é brisa a chegar e ansiamos mais que a calmaria, queremos furacão a nos tomar, pois após sentirmos o gosto dela, desejamos sempre, mas não para tê-la como posse, não para exibi-la ao pobres, que por falta de espírito não tiveram a mesma sorte, não ousaram molhar-se na tempestade, desejaram a brisa suave, em vão, pois se assustam e tremem com o barulho do trovão.

Eu quero ela sempre tempestade, de manhã ao cair da tarde, porque só quem entra no furacão, descobre que andando junto ao seu centro, fará parte dela e terá eternos e ternos bons momentos. 


Joakim Antonio


Força da natureza - Publicado 11 de julho de 2010 no Manufatura - Literatura feita de maneira artesanal.
CLIQUE AQUI para ler os outros manufatores, cada dia uma nova e boa leitura!

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Fotografando


Câmera antiga em minhas mãos
apontada direto para cabeça
fotografou diversas lembranças
primeiros passos e caretas

Câmera antiga em minhas mãos
apontada diretamente ao ouvido
fotografou sons interessantes
altos e baixos, choros e risos

Câmera antiga em minhas mãos
apontada em direção aos pés
fotografou caminhos antigos
terra vermelha e igarapés

Câmera antiga em minhas mãos
apontada na direção do olhar
fotografou o primeiro sorriso
dado à mulher que o faz brilhar

Câmera antiga em minhas mãos
apontada e colada ao coração
fotografou uma costura perfeita
com pedaço de outro coração


Joakim Antonio

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Aos amigos


Algumas pessoas são nuvens que trazem sua chuva nos refrescando quando preciso, outras são nuvens que encobrem o sol, umas para que ele não nos queime a pele e nem nos cegue com seu brilho, outras pensando apenas em encobri-lo, há também as que são apenas nuvens que passam rápido sem nem deixar rastros.

Mas há pessoas que decidem ser o céu e como ele, estão sempre presentes, você não precisa vê-las para saber que são amigas, mesmo que não se encontrem por décadas, quando encontrarem-se terão sorriso estampado no rosto e palavras deliciosas, ombro amigo e abraço gostoso, chegam como céu azul e limpo em todo seu explendor, afinal elas lhe tratam com amor.

No meu mundo há céu limpo ou com nuvens, escuro ou claro, conforme o momento vivido, a hora escolhida ou o dia do calendário, mas sempre há lugar para antigos e novos amigos, risadas compartilhadas, ideias geradas por você, por mim e também por nós, escrevendo sempre novas histórias.

Nesse momento alguns podem querer saber, e você, é nuvem ou céu, qual dos dois e que tipo ele será?

Nesse mundo virtual e real de amigos presentes, ausentes, concretos e invisíveis, de palavras novas, antigas e repetidas, onde sei que na vida na verdade somos espelhos, onde o outro reflete até nossos mais íntimos desejos, minhas ideias tornam-se casa, transformam-se em mundo, fazendo morada e enquanto todos são nuvem ou céu, no meu mundo eu sou água.

Cada vez que você lê algo aqui e pensa, isso parece que é para mim, é porque realmente, nesse momento, isso é para você, como a água eu reflito o que me dão, não importa se é mente ou coração, eu reflito as nuvens e o céu, eu reflito você.

Gostaria de dizer obrigado a cada um de vocês, que retornam, que comentam ou comentaram, no blog ou para alguém, aos que passam silenciosamente, mas vivem presentes e à você que está lendo pela primeira vez. Devo dizer também que há muitos planos para serem colocados em prática, mas sempre que nos encontrarmos, espero que se sintam em casa.


"Se uma única palavra minha abrir um sorriso nos lábios de quem lê, terá valido a pena escrever!"

Joakim Antonio

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Sorrisos me movem


Estava voltando da academia quando um ônibus parou na avenida, ao olhar para o lado, da janela, um menino de cabelos negros espetados me fitava, seus olhos também negros e expressivos mais pareciam duas jabuticabas, olhou para mim cerrou os olhos um pouquinho e com os lábios colados me lançava um sorriso lindo, na verdade ele me sorriu com o rosto inteiro, um sorriso daqueles que damos depois de encontrar grandes amigos, que mesmo de costas eles sabem que continuamos sorrindo. Me passou uma paz tão grande, como quando estamos em meio a natureza observando a mata ou uma cachoeira, qualquer um que olhasse juraria que ele já me conhecia, isso foi na sexta-feira e até hoje posso sentir sua energia, amor e alegria, puros.

"Sou pura alegria, sorrisos sinceros recarregam minhas baterias."

Joakim Antonio

sábado, 19 de junho de 2010

José Saramago (1922 - 2010)

Nasceu pobre, filho de camponeses
em novembro, signo de escorpião
durante a vida passou por reveses
que moldaram mente, e coração

Seu pai lhe deu, o mesmo sobrenome
mas, o destino, colocou sua mão
nome de planta que matava fome
e como homem, saciou multidões

Tinha fome, imensa, de saber
o primeiro livro, ganhou da mãe
na biblioteca, vivia a aprender 
descobrindo o saber de gerações

A sorte lhe sorriu pois trabalhou
conheceu outras línguas e nações
cresceu, tornou-se grande, escritor
embaixador da língua de Camões

Joakim Antonio









"O homem mais sábio que conheci em toda a minha vida não sabia ler nem escrever" 
José Saramago (sobre seu avô, ao receber o Prêmio Nobel de Literatura, em 1998)


segunda-feira, 14 de junho de 2010

Não te esqueci

 

Entro e vejo você no canto, rosto para parede, esperando meu toque que a tanto não sente. O silêncio toma conta do quarto e sinto que você me culpa pelo esquecimento, mas minhas mãos tocam outro corpo agora. Sei que é difícil, passamos muitas horas juntos, durante anos seu corpo curvilíneo vibrava com meu toque, pedia pelos meus dedos e desabrochava em lindos tons e canções. Você se culpa pois sabe que ajudou a nos unir, ela sempre falou bem de você e adorou quando nos viu e nós adoramos quando ela aplaudiu, então não tem porque o ciume agora. Sentindo seu silencio, sei que também tenho culpa, afinal sempre fomos dupla e eu deixei você de lado, mas ainda gosto de você e isso é fato, houve apenas uma confusão e foi aí que saímos do trilho, eu te amo, mas não como à uma amante e sim como à um filho. Olhe para mim e diga sinceramente se não é isso que você também sente, está vendo como tudo mudou agora, ah, eu conheço esse olhar, sabia que você ia entender, apesar de parecer antigo você é uma criança, então vem, sente minhas mãos e fica no meu colo, vamos brincar, cantar e alegrar o mundo todo agora. Vamos correndo contar à ela, quem sabe em forma de canção, não se preocupe nem se envergonhe, ela não pedirá explicações.

Pois desde o começo ela dizia, adoro ver você com seu violão!

E a música voltou a tocar...


Joakim Antonio


Não te esqueci - Publicado 11 de junho de 2010 no Manufatura - Literatura feita de maneira artesanal.
CLIQUE AQUI para ler os outros manufatores, cada dia uma nova e boa leitura!

sábado, 12 de junho de 2010

Quem te incendeia


Quem é seu norte
deixa alerta
multiplica energias
estrada certa

Quem é seu pé de coelho
traz novidades
mãos dadas
andar no parque

Quem vive nos seus sonhos
faz brotar sorrisos
ideias quentes
o paraiso

Quem incendeia seu coração
aquece o corpo
habita seus sonhos
desejos loucos

Dê a ele seu sorriso mais doce
o abraço mais apertado
e não somente hoje
mas todos dias do calendário

Joakim Antonio

 
Um Feliz dia dos namorados a todos vocês!

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Obituário virtual


Viveu intensamente e partiu de repente, tinha uma memória privilegiada, sabia de tudo da minha vida, por onde eu andava, meus contatos e diversas coisas mais, quando precisava recorria a ele que me lembrava. Ainda deu sinais de vida no momento final, mesmo usando todos recursos a meu dispor, não pude fazer nada, não consegui ressuscitá-lo. O que me consola é que sei que ele deu tudo que tinha que dar e um pouco mais até, pois era muito exigido e sempre aguentou como um guerreiro, não era Jack Bauer mas vivia 24 horas alerta, ajudou muita gente com seus serviços e sua ausência é o motivo da minha também.

Tenho certeza de que, se existir um cemitério virtual, ele está lá orgulhoso de anos de deveres cumprido e a alma do meu disco rígido descansa em paz, sorrindo.

Joakim Antonio

(Durante esses dias as postagens e as visitas aos blogs dos amigos, serão mais esporádicas, meu hd pifou mas felizmente consegui salvar meus arquivos, graças ao cd do Ubuntu, nesse exato momento estou usando ele, detalhe: sem HD, fica a dica)

Conselho do dia (que nunca ouvimos) : SEMPRE FAÇA BACKUP

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Ela em palavras

Mulher mineira 
        menina   se re le pe                           
                          criança briguenta
 situações normais 
 a    coisas
l         pequenas
 a vras Gran des

LÁGRIMAS D
                      E      ALEGRIAS DISTRIBUIDAS
                        R
                         RAMADAS 

Corpo            Cera
          quente                    PERNAS
                                                  TORNEADAS 
Paz do abraço
                                Fúria do sexo 

       A                                 
ALMASCOLADASEMPRE
     Amor                           
     Delicioso                     
     Amor     

         
   a k i m 
 t o n
   J 

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Alma da terra



Trago dentro de mim o canto das lavadeiras,
nas batidas do coração o crepitar de lenha seca,
cor de café feito com pedra quente da fogueira,
como água de cacimba o sangue em minhas veias.

Foi me dada a força da rapadura com farinha,
garganta protegida com mel do oco da árvore,
corpo purificado nas águas dos rios e açudes,
mente formada por contos da terra semiárida.

Pés que conhecem o prazer de andar na terra,
mãos que escrevem a cultura oral repassada,
olhos que descobrem toda beleza do simples,
voz que narra as lições das parábolas do sertão.

Minha alma veio de viagem no pau de arara,
fez parte dos sonhos de retorno para casa,
veio nascer nessa grande selva de pedra,
mas canta, dança e pertence à nossa terra.

Joakim Antonio


Imagem: Pau a pique by Caetano Lacerda

terça-feira, 1 de junho de 2010

Vida de mentira


Na insegurança da adolescência 
mentiu idade
para conseguir emprego
 onde morava
pelo preconceito
 sobre o trabalho
para não virar piada

Já homem feito e livre do medo
continuou mentindo 
para as crianças
pela alegria
aos adultos
para relaxarem
a idosos 
para relembrarem

Chegando no fim da vida
ainda assim mentia
se dizendo saudável
para não lhe pararem
com o coração forte
mas aos poucos morria 
por dentro chorava
mas por fora sorria 

Morreu no fim do espetáculo
 segurado nas cortinas
enquanto o povo aplaudia de pé
achando que ainda vivia

Joakim Antonio 

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Momento certo



Essa é uma da flores que minha mãe cultiva no quintal, conhecida como flor da noite*.
Muitas pessoas à veem fechada e dizem que deve ser uma flor muito bonita, então dona Luzia, toda contente, explica  que ela desabrocha somente ao anoitecer e convida para voltar nesse horário se quiser ver. Mas o gostoso mesmo é estar presente no horário que elas abrem, exalando um cheiro delicioso, que penetra pela casa e pega os mais desavisados de surpresa ao passar pelo quintal.

Na vida tudo é assim, possui o momento certo de acontecer e cabe a nós estarmos lá ou não, dependendo das escolhas que façamos, algumas vezes estaremos no local certo e na hora certa por acidente, não planejamos estar ali, mas aproveitamos a oportunidade. Mas reflita comigo, não há nada melhor do que estarmos no momento certo por vontade própria, sabendo exatamente o que fomos fazer ali, tendo planejado tudo a contento, prontos e firmes para ação, quer seja para contemplar algo como uma flor desabrochando ou um sonho se tornando realidade.

Mesmo que o momento pareça não vir, devemos estar preparados para ele, como já aconteceu comigo, de repente, alguém vital para organização onde você trabalha, não está presente e ao perguntarem quem sabe como resolver, surgirá o seu nome. Você será a pessoa certa no momento certo.

Se quiser sentir o aroma das flores em toda sua plenitude, deverá estar presente no momento que elas abrirem.

Uma ótima semana para todos!



Joakim Antonio

*Cereus grandiflorus ou Cactus grandiflorus. Também é conhecida como flor-de-baile, flor-cheirosa, cacto-de-flor-grande e rainha-da-noite. Desabrocha ao anoitecer e fica aberta até o nascer do sol, possuindo aroma parecido com baunilha. Faz parte da família das cactáceas, mas não tem espinho.

sábado, 29 de maio de 2010

Lua cheia


A lua está linda e transforma o céu em quadro
eu lobo que sou admiro-a em todo seu fulgor
olhando sua beleza totalmente estasiado
uivo para ela lindas canções de amor

Seu corpo tem essa aura de poder enigmático
brilha no céu como uma misteriosa flor
que poeta não há de ter inspirado
transformando homem em trovador

Quantos pares teus braços tem abrigado
diante de ti os beijos tem mais sabor
com tua benção casais de namorados
fazem inúmeras juras de amor

Teu brilho só não me deixa mais enfeitiçado
do que o som que para mim é encantador
é quando a loba que vive ao meu lado
uiva junto com seu lobo protetor

Joakim Antonio

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Dieta diferente


Está chegando a hora do almoço e sinto minha fome crescer, quanto mais como, mais quero comer. Sabe quando há um vazio que chega a doer e que te dá desespero na hora de comer? Nessas horas você não come, devora, um verdadeiro morto de fome ou pelo menos, tem medo de vir a ser.

Maldito momento em que comecei essa nova dieta, pois não sabia, que a fome em vez de diminuir aumentaria. Calculada precisamente, tudo separado, cada dia um bocado, sem repetição, a não ser que fosse gostosa demais, aí meus amigos, deixo até alguns afazeres só para degustar melhor. Se eu não a visse talvez até me seguraria, mas me entendam, por favor, ela fica me olhando, chamando, às vezes juro que pisca para mim e diz, vem, me pega, me devora agora, me degusta em voz alta, para que todos saibam que está a me comer.

Agora mesmo, estou acabando esse texto correndo e se entrar alguém no próximo momento, irá me pegar no flagra, no meio do ato e mesmo se isso acontecer, não paro, pego ela nos braços e me dirijo pro quarto, onde é muito mais tranquilo ler.

Bendita hora que decidi ler um autor por dia, agora peço licença a vocês, é hora do almoço e eu vou comer!

Joakim Antonio  

terça-feira, 25 de maio de 2010

Sorriso da nega


De manhã quando ela abre os olhos
me olhando de cara amassada
seu olhos brilham sorrindo
me chamando a sorrir também

Se ela acorda virada pro lado
dá um pulo pro lado contrário
com a cara meio assustada
como se tivesse fugido dali

E eu sorrio e beijo seus olhos
que também sorriem pra mim

 De manhã no horário do trabalho
com o rosto bem maquiado
seu sorriso tem um brilho danado
que até parece marfim

Se passo em frente ao trabalho
eu pisco pra ela e ela pra mim
para saber se paro ou não paro
um sorriso quer dizer sim

E eu sorrio e beijo seus lábios
que também sorriem pra mim

De noite bem longe do trabalho
rosto tranquilo de linda mulher
os dois sem tempo marcado
 para fazer o que bem quiser

E se eu paro e fico te olhando
no momento estou pensando
e totalmente admirado
 com um sorriso tão lindo assim

E eu sorrio e beijo teu corpo
que também sorri pra mim

Joakim Antonio

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Bebendo a segunda-feira



Segunda é dia de começar a beber a vida novamente, para alguns meio cheia e para outros meio vazia, não importa, pois ela será bebida. Você pode espernear, gritar, chorar ou então se acalmar, cantar e rir, há opções para todos os gostos, mudam os sabores, mas continua sendo líquida. Sim, líquida, porque ela se adapta ao copo que você decidir usar e às doses que irá tomar, pequenas ou grandes, feitas das ocasiões que espremerá. Os casos e ocasos da vida serão o toque especial da sua bebida, doces ou amargos conforme sua mistura decidida.

Cabe a nós aprender como prepará-la, a dose certa de cada ingrediente e o mais importante, o toque especial da gente, aquilo que fará adorarmos beber não só a segunda como a semana inteira. Então seremos os primeiros a levantar da cama e preparar a própria segunda-feira, afinal se a responsabilidade por ela é nossa, devemos provar primeiro.

Um dia, as pessoas admiradas pelo modo que prepara a vida, perguntarão pelo segredo do seu sorriso e passarão a preparar melhor a delas também!

Saúde!!

Joakim Antonio

domingo, 23 de maio de 2010

A e i o u



Andava atarefada, aspirava ascensões, agora, às alturas ambicionava.

Esse emprego era espetacular, enfatizava ela, era excelente escritora.

Ideias infinitas, inspirava inúmeros indivíduos, indiscutivelmente imortalizariam-na.

Obra original, ótima ortografia, obtivera ofertas, onde outros obscureciam.

Ufanava-se,  uma *ultriz, ultrajou ultraconservadores, ultrapassara uma utopia.


Joakim Antonio



*ultriz = mulher vingadora

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Combustível


Sou movido a café, sabe aquele cara que você encontra no mercado olhando todas as marcas da prateleira, que sempre para ao lado da máquina de café, servido fresquinho, queimando os dedos naqueles finíssimos copinhos, pois é, sou eu.
Aquela pessoa, que em qualquer casa, na hora sagrada (não, não é da comida é a hora depois dela) você encontrará na cozinha ou na sala, tomando um delicioso cafézinho. Que as mães dos amigos dizem, já que hoje você está bonzinho, vou te passar um café fresquinho.
Café com pão, com leite, com bolo, esses dois bem quentes, café sozinho, na rua, em casa, acompanhado e no vizinho contando histórias pros seus filhos.
Agora à pouco o café acabou, minha mãe saiu apressada para um compromisso e pensei vou fazer só um pouquinho, olhei pra cafeteira mas deixei pra lá (conselho nunca compre uma cafeteira grande, você se arrependerá) , fervi no bule mesmo e ao coar, o cheiro de café fresco tomou conta do ar.
Tudo certo e preparado, hora de provar o resultado, cheiro delicioso, gosto saboroso, bem forte e encorpado, bem parecido com o café que a Rê prepara quando eu volto do mercado.
Ouço a porta da sala, saio do transe e lembro de rapidamente guardar o que sobrou, mas ao pegar a garrafa, minha mãe surpresa me olhava, bem que achei pesada. Ela fez café e não me avisou!


E por falar nela, minha mãe sempre dizia que se eu tomasse muito café ia ficar da cor dele e eu ria alto dizendo, mamãe você diz cada coisa.

Humm, agora parando para pensar bem, será por isso que em casa eu sou o mais escurinho?!?!

Joakim Antonio

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Pedido a Papai do céu




Que eu nunca reclame da vida
e agradeça por ter acordado
Que eu nunca reclame da comida
e agradeça por ter algo no prato
Que eu nunca reclame das roupas
e agradeça estar agasalhado
Que eu nunca reclame dos sapatos
e agradeça não estar descalço

Que eu tenha força para recomeçar
caso tome o caminho errado
Que eu tenha força para saltar
diante dos obstáculos
Que eu tenha força para ajudar
os mais necessitados
Que eu tenha força para multiplicar
as bênçãos que me foram dadas

Que eu tenha humildade para aprender
com os mais velhos e sábios
Que eu tenha humildade de reconhecer
as vezes que tenho errado
Que eu tenha humildade para me desculpar
com quem eu tenha magoado
que eu tenha humildade de perdoar
a quem tenha me magoado

Que eu sempre tenha boas ideias
e saiba como me expressar
Que eu sempre pense duas vezes
antes de abrir a boca para falar
Que eu sempre fale alto e a todos
quando quiser elogiar
Que eu sempre morda a língua
quando quiser criticar

E que a cada passo que eu der
e tudo que eu e você fizermos
seja repleto de amor

Joakim Antonio

terça-feira, 18 de maio de 2010

Presença



Chego calmo como quem não quer nada
de surpresa invadindo seus sonhos
bem de mansinho construo morada
derrubando as portas que me barravam

Surjo na sua mente a qualquer horário
mudo suas regras lhe trago pro jogo
não há dia certo não há calendário
a qualquer momento você me terá

Não adianta lutar, tentar resistir
preencho manhã, tarde e tua noite inteira
sou o que dá e mata a fome para ti

Pronunciará meu nome no chuveiro
gemerá baixinho na cama nua
então dirá, sou toda sua; Desejo!

Joakim Antonio


Imagem: Nikola borissov

domingo, 16 de maio de 2010

Viagem breve



Malas sobre a cama
movimentos lentos
brilho na frente do olho
por trás choro

Tic tac do relógio
todo mundo junto
horas especiais
dia curto

Cheiro de café no ar
gosto do momento
forte encorpado
tudo intenso

Sentimentos presentes
futuro certo
situações passadas
amor eterno

Vontades iguais
não deixar ir
rasgar passagem
ficar ali

Bagagens prontas
lembranças guardadas
beijos de despedida 
caminho de mãos dadas

Amor em beijos e abraços
partida na hora
depois as lágrimas
dentro e fora

Viagem longa
paradas breves
imagens suas
sono leve

Chegada em casa
telefonema certo
voz tranquila
sorriso terno

Na cabeceira da cama
sua lembrança
embalando sono
como criança


"Quando o coração espera, semanas parecem décadas!"

Joakim Antonio

sábado, 15 de maio de 2010

Multifacetada



Cabelos molhados saindo do banheiro
ela possui a face do vento fresco
de mãos dadas a andar no parque
ela possui a face do sol da tarde
na cama em meio ao sexo e muito tesão
ela possui a face de um furacão

Em seu descanso dormindo quietinha
ela possui a face de menina
ao acordar sabendo o que quer
ela possui a face de mulher
realizando fantasias picantes
ela possui a face da amante

Mostrado as garras rasgando a roupa
ela possui a face da leoa
mordendo forte cravando as presas
ela possui a face da tigresa
desejos tamanhos que a deixam louca
ela possui a face da loba

Tempestade, sol, mulher, loba, fêmea, felina
ter todas suas faces é o que mais me excita!

Joakim Antonio


Multicafetada - Publicado 11 de maio de 2010 no Manufatura - Literatura feita de maneira artesanal.
CLIQUE AQUI para ler os outros manufatores, cada dia uma nova e boa leitura!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Liberdade corrente



Liberto por pressão e jogado a sorte
a sobrevivência apenas começava
poucos comiam, muitos mendigavam
e a foice da morte os abraçava

Leis feitas para ingleses verem
livre no ventre mas não fora dele
como ser livre após os vinte um
se não conseguia viver treze

O que dizer então dos sexagenários
o que faria passado esse tempo
qual seria sua verdadeira idade
se valia por dez cada ano sofrendo

Esquecemos muito com o tempo
ou por não observarmos sempre
por isso é importante escrever
publicar, guardar e depois reler

Para não repetirmos o passado
pois acontece também no presente
em meio a um mundaréu de gente
usam a cor para apontar o culpado

Dia treze de maio comemora-se
algo pelo qual muitos morreram
alguns dizem que por eles mesmos
eu digo que por nós Brasileiros

Joakim Antonio

domingo, 9 de maio de 2010

Coração de Mãe




Mãe é uma palavra tão pequena, mas que se agiganta na nossa garganta, enche a boca e sai com sons que carregam diversos tons, dependendo do momento e do que sentimos, deve ser porque o coração dela também é gigantesco, diria que do tamanho do mundo inteiro. Nele cabem seus filhos, legítimos, adotivos, considerados, netos, sobrinhos, meninos abandonados, pessoas que necessitam de colo, afago, alegrias. Não adianta olhar definições de dicionário e também nem interessa o que diz a biologia, com o tempo se tornam tão fortes que passam a ser mãe de quem já foi filha um dia.

E vocês podem ter certeza, cada um de nós faz parte do coração de todas as mães que já nos olharam um dia, quando estávamos protegidos em seu ninho por 9 meses, no colo sendo amamentando, passeando de carrinho no supermercado, em qualquer lugar que esteve, do maternal a faculdade, nos dias de ganho e principalmente nos dias de perda, onde suas lições nos tornam pessoas melhores, vindas da minha, da sua, das nossas mães espalhadas por aí, que vemos a vida toda ou só por um segundo no ônibus, no banco, andando no shopping e de repente uma mão se estende, em forma de olhar ou palavras e sentimos nossa mãe ali, isso é a prova viva de que está tudo conectado, por isso dizemos que mãe só muda de endereço, amor de mãe é igual comercial de cartão de crédito, não tem preço.


Há apenas uma mãe e um só coração, onde cabem todos nós, onde cabe o mundo!

Joakim Antonio

Homenagem a todas as mães que encontro por aí e sinto nelas, o mesmo amor da mãe que tenho aqui.

Amo todas vocês e um feliz dia das mães!

sábado, 8 de maio de 2010

Meus olhos nos seus


Se há uma coisa que as pessoas admiram muito são olhos, eu mesmo sou um grande apreciador de olhares, olhos enamorados me fazem viajar os sete mares para revê-los, olhos marejados são como vírus, que passam para pessoas mais sensíveis ao notá-los, os olhos que menos uso são os irados e também fico triste ao ver que, para alguns, eles são os mais usados, olhos de criança não preciso nem falar, são como ficam os meus e os dela quando a gente começa a brincar e ao olhar em volta, tanto adulto quanto crianças passam a rir, ao olhar para o lado e ver nossas loucuras que os deixam com olhares admirados. Mas os olhos que eu mais gosto são aqueles que de tão colados, os cílios ficam praticamente entrelaçados, abraçados, beijando-se, são os chamados olhos vidrados, que parecem possuir em vez de olhos diamantes ou estrelas brilhantes, o verdadeiro olhar dos  amantes.

"Os meu olhos nos seus, os seus olhos nos meus e os nossos olhos no futuro"

Joakim Antonio

sábado, 1 de maio de 2010

Acabou


Acabou, the end, c'est fini, fim. Não existe mais eu e você, se olharem bem e eu sei que todos olham, nem ao menos existe mais eu ou você separado. Sinto dizer que isto estava pra acontecer. Eu já havia previsto, no fim como muitos disseram, apesar de ser mais rápido do que esperam, você e eu deixamos de existir.
O pior ou melhor de tudo isso, depende do ponto de vista, é que eu nem sinto falta de você e devo dizer a todos que você não sente mais falta do meu eu. A vida deve andar pra frente, afinal o que pára se estagna, então chegou a hora, o momento é agora, o futuro não existe mesmo, era um sonho que tínhamos sozinhos. A realidade está mais presente que nunca e confesso, mesmo que isso deixe alguns nervosos, estou rindo e alguns sabem que  você está rindo também. Eu sei que devo satisfação para alguns ou muitos de vocês, então direi, tudo aconteceu após a segunda briga, depois das últimas lágrimas enxugadas, nariz escorrendo e boca marcada de tanto ser apertada pela raiva. Após aquele dia eu e você descobrimos que não dava mais pra ficar assim, então os dois simultâneamente, um em casa e outro na rua, os dois a sós, descobrimos que nunca mais haverá eu e você.
Mas para sempre haverá nós e que é impossível viver um sem o outro, divididos, porque mesmo a léguas de distância, os corações batem em uníssono e nos tornamos um só amor, indivisível.

Joakim Antonio

quinta-feira, 29 de abril de 2010

L.E.R. – Lendo Escutando e Recontando – Parte Final


Se for a primeira vez que você está lendo sobre esse artigo, convido-o a visitar os artigos anteriores: primeira, segunda e terceira parte, antes do final onde falarei sobre recontar. 

“Dá-me a tua mão: Vou agora te contar como entrei no inexpressivo, que sempre foi a minha busca cega e secreta.” Clarice Lispector

A história é viva, a palavra é viva, sempre ouvimos falar sobre isso, mas o que a mantém viva?
Já se perguntou como a história se manteve quando não havia jornais e internet, ou nos lugares onde a verdade foi proibida por certos governantes? Como se aprende algumas das coisas proibidas na China ou se descobre notícias antes de publicadas? E os grandes mestre da antiguidade, alguns pregando livremente, outros ensinando em antigas sociedades secretas ou como Dell Debbio costuma dizer “atualmente sociedades discretas”, como as histórias se mantém circulando por séculos?

Num primeiro pensamento diríamos, porque estão devidamente registradas escritas e guardadas, mas pense em quantos livros foram escritos e talvez nem saiam das gavetas dos seus autores.

Uma história contada pode-se dizer nascida, mas sós as recontadas continuam vivas!


Gostamos muito de falar é óbvio, senão o que é sucesso hoje não passaria do primeiro dia, recontamos o filme, a partida de futebol, notícias dos jornais, histórias que escutamos sejam reais ou imaginárias. O ato de passar uma história a frente mantendo-a viva é muito forte e poderoso, qual de nós não ouviu dizer que uma mentira repetida mil vezes se torna uma verdade, vocês já viram como as fofocas vendem mais que outras notícias?

Acostumamos a falar que contamos histórias, por isso não nos atentamos ao fato de que, na maioria das vezes, estamos recontando a história. Um cantor aprende a música e nos reconta ela cantando, ou melhor, recantando-a lindamente e o que dizermos então dos atores, que nos recontam a história através de suas encenações. Humoristas recontam piadas e se puder dão uma apimentada e a parte que mais gosto, contadores de histórias recontam para alegrar a criançada.

Para o escritor recontar é um dos, senão o principal meio usado para escrever. Em um romance, por exemplo, ao criar a historia ele visualiza o local, os personagens, imagina roupas, cenários, quem morrerá ou viverá, apaixonar-se-á ou não, suas personalidades como herói ou vilão e depois reconta a historia para nós através das linhas no papel.

Quando lemos uma história que vale a pena ser contada, sabemos que o escritor conseguiu nos passar sua visão interior de um modo que afeta a nossa prazerosamente. Uma visão interior mais abrangente do mundo que nos cerca vem do o ato de ler plenamente, assim como qualquer um pode fazer usando os princípios destacados nessa série de artigos sobre a arte de L.E.R.: 

Lendo muito e sentindo o texto, absorvendo a essência dele, entendendo o porquê de cada detalhe.

Escutando as palavras do personagem ou do contador da história, sentindo tudo real e além do imaginário.

Recontando a história e acrescentando o seu olhar a ela, seus sentimentos, o que ela lhe passou e ensinou.

Recontar é primeiro passo de uma história viva que dará voltas ao mundo, reconte seus passos, sua vida, o filme, a piada, enfim, todas as histórias que lhe deram prazer, mostre aos outros do que você está sendo formado e depois, através de suas próprias histórias, nos mostre quem é você!


Joakim Antonio

Esse texto é a parte final de um artigo dividido em quatro partes para ser publicado no site Prosa em Verso, você encontrará as três primeiras partes na Coluna Visão Interior.

domingo, 25 de abril de 2010

Lágrimas


Qual o gosto de uma lágrima? Alguns juram que é salgada.

Quando ela surge de repente, durante o momento de desejo, bem no meio do beijo, passando dos olhos de um amante pro outro e aí o que você me diz, qual será o gosto?
Quando lhe perguntam, do choro, a causa e você ri, porque na verdade não tem resposta, naquela hora a lágrima simplesmente rola, explode e escorre pelo rosto e vai descendo pelo pescoço, molhando até a roupa, qual o gosto que ela deixa na boca?
Quando o filho pergunta porque o pai chora, depois de chegar do trabalho, cansado, mãos cheias de calos, pés apertados no sapato e ao abrir a porta, ser recebido praticamente com um alegre escândalo, de alguém que pula, ri, abraça e diz, "papai eu te amo", imagine e pense, que gosto esse pai sente?
Quando pessoas ajudam em momentos angustiantes, que fazem o outro chorar no mesmo instante, pela ajuda, pelo carinho, que nem sonhava existir, seu choro tanta alegria passou que ao abraçá-lo você também chorou e os dois chorando muito, qual será o gosto que sentiram juntos?

Qual o gosto tem uma lágrima? Alguns juram que é salgada.

Mas refletindo sobre tudo isso hoje. Eu juraria que é doce.

Joakim Antonio

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Cuidando

Costumo acordar criança com sorriso aberto, olhar terno e admiração estampada no rosto. Começando a tarde, mais precisamente na hora do almoço, viro garoto, todo agitado, olhar abobado e excitação estampada no corpo. A noite o homem chega e toma conta do momento, então sou braços abertos, colo disposto e ouvidos atentos.

Menos hoje. Acordei e você disse que não estava legal, então a criança dormiu, o garoto saiu e só o homem ficou. Ficou olhando você dormir para ver se já tinha melhorado, colocando as mãos para sentir se a febre tinha voltado, bravo por terem vindo ver se estava bem, mas terem lhe acordado, fechando as cortinas para o sol não lhe incomodar, fazendo o café da tarde e chamando atenção, mesmo sem você gostar.

Nesse momento você está deitada, serena, o mundo roda a nossa volta, o homem te olha e você é minha criança agora.

Joakim Antonio

sábado, 17 de abril de 2010

Agradecendo


Era um menino gordinho, mas não a ponto de ser obeso, diziam que era fortinho e digamos que estava de sobrepeso. Como todos de sua idade não dispensava um brinquedo, gostava mais dos de madeira, porque por suas mãos eram feitos. Alguns eram bem simples, na verdade simples até demais, duas ripas pregada em cruz eram o avião de um ás. Adorava bolinhas de sabão pois era fácil obtê-las, precisava de apenas um arame em forma da letra pê,  um pouquinho de OMO e o ar dos pulmões para fazê-las. Um dia disse a mãe que queria ser lixeiro, ela até tentou dissuadi-lo, mas quem conhece teimosia de criança entende o porquê dela ter desistido. A mãe sempre dizia para não pular em cima da cama, mas como iria dar pulos acrobáticos brigando com seus amigos imaginários e além do mais nunca quebrou um osso, apenas uns cinco estrados. Chorou muito, mas muito mesmo, quando aquilo aconteceu, acho que quase a água do corpo inteiro, no dia que seu pai morreu, mas sorriu muito, muito mesmo, com as lembranças que ele lhe deu. Gostava de fantasiar aventuras e cenas de cinema, que readaptava com seus amigos, encenavam e quando juntam-se de novo, sempre riem-se uns dos outros, relembrando apenas coisas alegres, nunca desgostos. Sempre achou e ainda acha engraçado, quando as pessoas comentam que era alegre com muito pouco, porque até hoje o menino acha que sempre teve mais do que precisava.

"Nós temos mania de reclamar só do que não tivemos e nos esquecemos de agradecer pelo tudo que ainda temos."



Joakim Antonio

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...