quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Liberto - Palavra expressa



Sensível
falava muito pouco
perto do quão bonito

Analítico
enxergava o oculto
nas palavras escritas

Inteligente
de palavras certas
que alegravam o ambiente

Humilde
de comentário sucinto
para não roubar o momento

De repente
sem deixar endereço
mudou de rumo e casa

Aquém
de um abraço apertado
só podemos enviar palavras

Liberto
abandonou a casca
mas continua vivo por aí

Feito de luz
e de puro amor
voando como um beija-flor

Joakim Antonio


Para o poeta, Joaquim Massano (in memoriam). 


Publicado originalmente na coluna Palavra expressa, no site Retratos da Alma.

Imagem: Freedom by Keid

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Aprisionado


Em um filme, o herói usava suas habilidades para ir a outro universo, onde o vilão podia feri-lo sem parar, evitando sua volta, mas ficando presos naquele momento eternamente. Assim o único poder do vilão se resumiu em ferir o herói, que sempre se curava, mas admitia ser muito dolorido. Num acesso de raiva sem limites, o vilão disse que ele não entendia que o tormento seria eterno, nunca ia parar de feri-lo, nem deixá-lo ir embora, se ele não fizesse o tempo andar novamente. Ao passo que o herói calmamente lhe disse, "Na verdade, você é meu prisioneiro!".

Não consegui deixar de pensar na hora, como as pessoas não percebem isso. Alguns tentam de tudo para ferir alguém que não haja conforme seus desígnios. Através de fofocas, indiretas, palavras verdadeiras colocadas fora de contexto, assim como momentos. É até fácil, pois tudo que você imaginar pode ser distorcido, desde que o ouvinte também tenha a mesma índole ou seja ingênuo, acreditando em tudo que se diga, sem confirmar com o caluniado. Assim, ficam como no filme, presos em um momento. Um busca ferir e o outro, mesmo sentindo tudo, continua seguindo seu caminho escolhido.

Um dia tudo passa, a pessoa arruma outro desafeto e não precisa mais querer ser visto pelo atingido, fazendo de tudo para chamar sua atenção. Ou, o que mais machuca, percebe tarde que o outro sempre quis seu bem e que na verdade, sempre foi prisioneiro de si mesmo.


Joakim Antonio


imagem: Prisioner by William Cordero

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Aceito - Povo da floresta


Subo a montanha tentando esquecer a conversa com o Chefe, ao dizer que ouvi um uivo estrondoso, bem no meio da tempestade. 

"O povo do lobo acredita que na pedra mais alta, mora um Lobo-rei. Ele aparece trazendo raios e cada uivo seu é um trovão. Nesse dia, o primeiro a ouvir seu uivo na madrugada deve ir ao seu encontro, pois será testado. No final há um banquete ou sábias palavras. As palavras serão presente e sentença, porque na verdade, ele sempre vem para um julgamento."

Mas como vou saber se passei no teste?

Se não virar banquete..."

Ao chegar no ponto de destino ele já me aguardava, me olhou diretamente nos olhos, no mesmo instante surgiu um raio, me obrigando a piscar. E na eternidade contida no fechar e abrir de pálpebras, ele soou, queimando por dentro:

"Sou espírito
que choca-se contra a pedra e não morre
que existe dentro da rocha
estou no tempo
parado e movendo-se
sou a tua prova
não passe apenas por mim
venha conquiste e renova-te
ultrapasse suas dúvidas
faça parte como filho
seja você também
a própria rocha
não se preocupe com a poeira do tempo
em colocar teu nome na pedra
que em pó se esfarela
nem em colocá-lo na perfeita
mas perecível estrela
no universo
que constantemente se renova
lembra-te que assim como eles
tu nesse momento és
amanhã outro será
e assim
tudo se renova
o mar, o céu, as pessoas
a vida cor de rosa
e até a vida suja
serão limpas
e o réu torna-se culpado nessa hora
será que eu preciso ter
ou preciso ser
no coração onde o ponto dói
ali está a raiz da sua resposta
abra e deixe que sangre
permita que o rio jorre
não cobice o perfeito dos outros
a chuva cai para todos
saiba que uma linda flor tem espinhos
e não maldigas
o que aconteça na sua vida
pois se acabassem os espinhos
não haveria mais proteção
você só vê o caule
o broto que o Algo plantou
espera e confie
cuide da tua flor
não murche, não suma
para melhor e mais bonita flor
não existe adubo cheiroso
o perfume delas
vem do estrume que o outro deposita
da água que jogam dentro da ferida
vem da fumaça que a obriga ser forte
da presa que quase lhe leva a morte
tudo tem um porquê
tudo na vida vem para melhorar você
agradeça primeiro estar vivo e não maldigas
a vida é sua
você que deve fazer dela melhor
já foi repetido milhões de vezes
tornado-se algo banal
mas que dessa vez toque você
seja agora
não espere o amanhã
para poder ser"

Pode parecer loucura, mas no caminho de volta, os lobos abriam caminho para eu passar.

Joakim Antonio


Imagem: Elemental by Novawuff

domingo, 27 de novembro de 2016

Coisa delas


E a gente finge que manda e faz o que bem quiser, enquanto ela escolhe até a cor da roupa, da cama, do dia, sempre nos seduzindo, usando o jeito, só dela, como quem nada quer. Como ela consegue? Coisa de mulher!


Joakim Antonio


Imagem: The cutest couple by Walker1812

sábado, 26 de novembro de 2016

Encontro


Não dava mais tempo, já estava amanhecendo e ela estava tão perfeita. Foi à base de bala de hortelã mesmo. Único recurso disponível no bolso direito da camisa de caipira, pois do lado esquerdo havia apenas algo roto. Já ela, que vivia bem arrumada, trazia no rosto uma expressão de receio, mesmo de máscara o sorriso a entregava.

Ele não sabia, mas ela até brincava com as amigas, que fazia tanto tempo, que nem sabia mais como se beijava. Até parece, há coisas que já se nasce sabendo, ou no mínimo, ninguém esquece. Assim como ela não conseguia parar de pensar em sua adolescência, no dia que treinou tanto beijando a própria mão, que ficou com uma marca roxa nela.

Será que ele também pensava em outra coisa, porque agora ela pensava em mil. O rímel que borrou, ao chorar por pensar que nunca mais arrumaria um namorado, o cabelo despenteado de tanto dançar e a falta de um espelho no banheiro (quem não coloca espelho no banheiro, pelo amor de Deus). Ah, além disso, não podia sujar o vestido, pois o aluguel foi caro e só tinha branco. Isso que dá deixar tudo pra última hora.

Ele foi chegando perto e os pensamentos se multiplicando, retirou sua máscara e deu o melhor beijo que ela já experimentou, nesse momento ouve aquela explosão de estrelas, cada uma em forma de mais e mais perguntas.

Ela não percebeu, mas por um momento o rosto dele mudou, com um pensamento insistente, daqueles que gritam alto e não se calam.

Caralho, não trouxe camisinha porra!

Joakim Antonio


Imagem: Máscara by JoaKim

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Desengavete


Muitos textos vivem em gavetas, reais, virtuais, impregnados na memória. Destes, alguns já foram vistos. Esmiuçado por professores, aplaudido pelos amigos, fizeram brilhar os olhos de amor dos pais e, os de inveja, dos inimigos. E com certeza, algum está morrendo de vontade, às vezes, até de ainda ser escrito, pedindo para ir morar num livro. Quem sabe não é agora.

Escreva!

Joakim Antonio


Imagem: Rosan Harmers




quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Olho cigano


Seu olho castanho cigano

Tem um peculiar poder

Ele vê perfeitamente

O desejo que há em você


Joakim Antonio


Imagem: Olhar by JoaKim

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Benção dos gatos


Lhe dou a benção dos gatos
nunca lhe surpreendam os ratos
tenha brilho no olhar
e saiba sempre como miar
que use bem suas garras
por onde passar deixe sua marca
acaricie com delicadeza
e use sua língua com destreza
nunca esquecendo ao sair pelas ruas
que o dia é bom mas a noite é sua

Assim é

Joakim Antonio


Imagem: Blessing by Plakitina

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Tudo é simples


Tudo é simples, mas o ser humano em toda sua "engenhosidade", cria nomes difíceis para se distinguir dos que não fazem parte de sua tribo, ou do seu mundo, científico, místico, filosófico, etc. Muitas vezes, o padronizar a linguagem para evitar erros, é válido, mas no momento que não se consegue explicar algo de maneira simples, sem usar uma vasta linguagem, tudo que se fez foi criar mais um clube, onde seu conhecimento lhe concede um pequenino status diante de seus pares. Quer ser verdadeiramente grande? Mude o meio onde vive. Como? Descomplique.

Causar mudanças é mais simples do que pensamos.

Joakim Antonio


Imagem: Reprodução/ TV Morena

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Ciclo - Palavra expressa



Sentiu-se pesar e caiu na Terra
mesmo antes de pensar
direto do ar, direto no mar

Sentiu o peso do novo
a visão do fundo
águas geladas, águas agitadas

Seduzido por um ponto de luz
resolveu emergir
deixou-se subir, deixou-se respirar

Então notou uma ilha ao longe
e sem medo de nada
saiu nadando, saiu do mar

Enquanto descansava ao sol
foi afundando na areia
se viu germinar, se viu enraizar

Querendo novamente o céu
começou a crescer
nasceram folhas, nasceram frutos

Antes que pudesse envelhecer
surgiu uma queimada
virou cinzas, virou nada

Uma grande tempestade veio
e o levou com ela
levado pro ar, levado pro mar

Joakim Antonio


Publicado originalmente na coluna Palavra expressa, no site Retratos da Alma.


Imagem original: Creation and rebirth by Tannaquil



domingo, 20 de novembro de 2016

Paradoxo


Passadas longas
corridas breves
areia do tempo
marcas leves

Linha mutável
horizonte fixo
sombra zero
Deus a pino

Desejo original
vontade clichê
útero da praia
eterno renascer

Completo mundo
indivíduo inteiro
entre aspas
meio a meio


Joakim Antonio


Imagem: Half man half biscuit by Ahermin

sábado, 19 de novembro de 2016

Balançando





A maioria não junta as peças. Acreditam no que foi falado a exaustão, para nos encaixar na fôrma certa. Mas se olhar de perto, sempre esteve aí. Pense comigo.

Procuramos mar, cachoeiras, banho de chuva. Buscamos sítios, montanhas, praia. Necessitamos de abraço, conversa, colo e cafuné. Queremos estar junto dos amigos, brincando e sorrindo. Mas também relaxamos, após tudo isso, sozinhos com os sonhos, nossos amigos imaginários, quer se concretizem ou não. Adoramos posts de animais de estimação, nos maravilhamos com as descobertas dos animais na floresta, às vezes também chorando com o mal que alguns fazem, tanto a eles como aos seres, ainda humanos.

Gostamos tanto de competir e aceitamos tanto quando nos dizem que o objetivo é vencer, vencer, vencer, que mal notamos, o que gostamos mesmo é de brincar. As olimpíadas são uma grande ciranda, a copa do mundo é uma grande pelada e as paraolimpíadas, um sonho de se ver, pois nenhum amigo fica de canto.

Poderia listar milhares de coisas mais, mas o melhor é cada um prestar atenção no seu quintal e no grande parque do mundo. Divirta-se e veja as coisas como são e não como querem que sejam.

Encontre o seu balanço.


Joakim Antonio



Imagem: By Shane K.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

A pena


A pena em tua mão, pode escrever destinos. A palavra em tua boca, pode versar em minha língua. A ponta dos teus dedos, pode tocar um coração. A energia do teu corpo, pode transformar um mundo. Apenas em tua mão, o começo de tudo.


Imagem: Feather serie 1 by Josemanchado

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Frutificando


A poesia cria raízes e quando ela floresce, você tem a sensação que o poema em você se agiganta. Pense no amor mais bonito que existe, pense nele ao infinito, agora pense nele explodindo em palavras, lhe apaixonando pela vida e mostrando a beleza que há em tudo. No peito dos poetas, há multiplicada, essa bela poesia. Aquele olhar, o pequeno gesto, a beleza presente naquele pequeno defeito, pros outros, mas que te deixa pasmo. Quer um exemplo? Aquela marca escondida, na dobra atrás do joelho, é poesia. O pescoço e suas linhas, o cabelo nas mãos, o cheiro do shampoo, aquela dobrinha que ela odeia, mas que você encaixa as mãos na cintura, é poesia. O jeito que ela se curva, a mão nas costas delas ajudando, a mordida, a língua, o gosto salgado, que se torna doce, da sua pele, é poesia. O boca a boca em seus lábios, em cima e embaixo e ela rindo, ao empurrar sua cabeça, para tomar mais ar é pura poesia. As coxas tremendo sem parar e o beijo, com gosto um do outro, é poesia sem igual.

A poesia cria raízes e quando deixamos, ela frutifica.

Joakim Antonio


Imagem: Fruitful by Bellabrooke

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Segundo o tempo


Segundo o tempo
os meses viajam
um é passagem
os outros bagagem

Segundo o tempo
as semanas seguem
uma é corrida
as outras partidas

Segundo o tempo
os dias nascem
um é concreto
os outros etéreos

Segundo o tempo
as horas gritam
uma é estúpida
as outras mudas

Segundo o tempo
as pessoas estão
uma é momento
as outras serão


Joakim Antonio


Imagem: Time by Cochalita

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Navegantes


Navegar e unir nossas ilhas, com fios dos destinos. Desbravar as marés que surgem, ao mergulhar em ti. Descortinar o mundo que cada um traz, marcado na pele. Provar o gosto do corpo, em gozo. E descobrir que o céu da boca, tem mais estrelas que o sonhar.

Joakim Antonio


Imagem By Md arts-daiynkw

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Eu árvore - Palavra Expressa


eu árvore
eu poeta
eu crescendo de ideias
sons e tons constantes
de pensamentos soltos
presos no tempo
descendo ao caule
à semente e flor

eu árvore
eu poeta
eu palavra certa
nas folhas impressas
em telas de vidro negro
estimuladas por fótons
elétrons e retinas despertas
por sentimentos táteis

eu árvore
eu poeta
eu raízes antigas
explodindo em versos
trazendo o passado
presente e futuro incertos
nunca quase tortos
sempre quase retos

eu árvore
eu poeta
eu tudonada
entre cordas bambas
sobre abismos infindáveis
no pulo derradeiro
numa última vã tentativa
de retornar ao que realmente sou


Joakim Antonio


Publicado originalmente na coluna, Palavra Expressa no site, Retratos da alma.


Imagens: Immortal Ideas of a Dead Poet by zyphryus

domingo, 13 de novembro de 2016

Poesia viva


Queria me espalhar como pólen, via abelhas, me sentir um pouco mel. Mas sou dente-de-leão, cravo no pescoço dos poetas, sou o beijo, o fluir do sangue, pra onde sua imaginação mandar. Mas só viro poema, pra quem souber me conquistar.

Joakim Antonio


Imagem: Dandelion tattoo - Freestock

sábado, 12 de novembro de 2016

Para quedas




Para quedas / braços 
Para choque / gozo 
Para brisa / sussurros 
Para raios / canto 

Nas quedas / colo
No choque / encanto
Na brisa / poema
Nos raios / transformação

Joakim Antonio


Imagem: by Ron S
SONY ILCE-7
53.0 mm f/6.9 1/800 s ISO 100 

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Alumiando



Há luz que alumia
e no foco dela
o sorriso 
em ângulo certo
abre-se

Há ideia constante
e na luz dela
o olhar
em ângulo certo
pede

Há palavra oculta
e no aceite dela
a face
em ângulo certo
renova

Há cor presente
e no tom dela
o corpo
em ângulo certo
move-se

Há alma versando
e no mote dela
a poesia
de qualquer ângulo
verte

Joakim Antonio



Imagem: There was a light by Julia Trotti 

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Ecos reversos - Palavra expressa



Você?

Eu, eu, eu, eu…

Eu?

Você, você, você, você…

Outros?

Nós, nós, nós, nós…

Nós?

Outros, outros, outros, outros…

Eles?

Vocês, vocês, vocês, vocês...

Sós?

Todos, todos, todos, todos..

Todos?

Sós, sós, sós, sós...

Ego?

Tudo, tudo, tudo, tudo...

Tudo?

Nada, nada, nada, nada...

Ecos?

Verdades, verdades, verdades, verdades...


Joakim Antonio


Publicado originalmente na coluna, Palavra Expressa no site, Retratos da alma.



Imagem: Further down the spiral by time-warrior

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

O Anjo Torto - Descortinando Torquato Neto (poeta)


O Poeta desafia conceitos, entorta as regras, fala de amor com a bravura da guerra e gostaria de parar guerras com uma flor. Cada palavra que não sai de sua boca, cada verso impedido de adornar o papel, vira angustia e consome-o, torna-o mais inferno que céu. Ele explode em sílabas tônicas e conjuga verdades improferíveis, por aqueles que deveriam ser os primeiros a dizê-las. É preciso compreendê-lo, mas não desculpá-lo, pois nenhum deles, do mais amável ao intolerável, declamou um poema sequer que se arrependesse.

Joakim Antonio

Pessoal intransferível, Torquato Neto.
“Escute, meu chapa: um poeta não se faz com versos. É o risco, é estar sempre a perigo sem medo, é inventar o perigo e estar sempre recriando dificuldades pelo menos maiores, é destruir a linguagem e explodir com ela. Nada nos bolsos e nas mãos. Sabendo: perigoso, divino, maravilhoso.
Poetar é simples, como dois e dois são quatro sei que a vida vale a pena etc. Difícil é não correr com os versos debaixo do braço. Difícil é não cortar o cabelo quando a barra pesa. Difícil, pra quem não é poeta, é não trair a sua poesia, que, pensando bem, não é nada, se você está sempre pronto a temer tudo; menos o ridículo de declamar versinhos sorridentes. E sair por aí, ainda por cima sorridente mestre de cerimônias, "herdeiro" da poesia dos que levaram a coisa até o fim e continuam levando, graças a Deus.
E fique sabendo: quem não se arrisca não pode berrar. Citação: leve um homem e um boi ao matadouro. O que berrar mais na hora do perigo é o homem, nem que seja o boi. Adeusão (Publicado na Coluna Geleia Geral de 14/09/ 1971).”

Torquato Pereira de Araújo Neto (Teresina, 9 de novembro de 1944 — Rio de Janeiro, 10 de novembro de 1972) foi um poeta, jornalista, letrista de música popular, experimentador da contracultura brasileira.

Torquato envolveu-se ativamente na cena cultural soteropolitana, onde conheceu, além de Gil, Caetano Veloso, Gal Costa e Maria Bethânia. Em 1962, mudou-se para o Rio de Janeiro para estudar jornalismo na universidade, mas nunca chegou a se formar. Trabalhou para diversos veículos da imprensa carioca, com colunas sobre cultura no Correio da Manhã, Jornal dos Sports e Última Hora. Torquato atuava como um agente cultural e polemista defensor das manifestações artísticas de vanguarda, como a Tropicália, o Cinema Marginal e a Poesia Concreta, circulando no meio cultural efervescente da época, ao lado de amigos como os poetas Décio Pignatari, Augusto e Haroldo de Campos, o cineasta Ivan Cardoso e o artista plástico Hélio Oiticica. Nesta época, Torquato passou a ser visto como um dos participantes do Tropicalismo, tendo escrito o breviário "Tropicalismo para principiantes", onde defendeu a necessidade de criar um "pop" genuinamente brasileiro: "Assumir completamente tudo que a vida dos trópicos pode dar, sem preconceitos de ordem estética, sem cogitar de cafonice ou mau gosto, apenas vivendo a tropicalidade e o novo universo que ela encerra, ainda desconhecido". Torquato também foi um importante letrista de canções icônicas do movimento tropicalista. O cineasta Ivan Cardoso produziu o documentário Torquato Neto, o Anjo Torto da Tropicália. Os Titãs musicaram seu poema Go Back, que deu nome ao disco da banda de 1988.

Para mais visitem o excelente site TorQUaTo nEto = O AnJO tORtO contendo sua história, músicas, vídeos, noticias, publicações e a prosa e verso de Torquato Neto.

Toda palavra guarda uma cilada: Torquato Neto entre a vertigem e a viagem - Texto que propõe uma apropriação e uma revisão histórica dos textos torquateanos, de modo que eles possam expressar as condições de existir para parte da juventude brasileira nos anos sessenta. Fênix - Revista de história e assuntos culturais.

Letras de músicas: Letras Terra Torquato Neto

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Estímulo certo


Resgatando uns rabiscos e suas histórias. Esse é melhor desenho que já fiz. Cópia da capa, da hq, Coringa, advogado do diabo. Feita em papel A2, com lápis HB. Detalhe, eu não sabia desenhar nada.

Na época usava uma das técnicas do livro, Desenhando com o lado direito do cérebro, de Betty Edwards, onde se copia o desenho colocando ele de cabeça pra baixo. Já estava conseguindo copiar sem virá-lo, mas não lembro se esse já foi assim. De qualquer modo, esse é o desenho que sempre mostro ao indicar o livro para quem, como eu, não sabe desenhar e quer aprender.

Interessante que depois de usar a técnica, constantemente me pegava rabiscando algo, bem melhor do que os palitinhos que desenhava antes. O que precisamos é do estímulo certo, para desencadear revoluções internas que nos levem a outros patamares de conhecimento e sabedoria, estimulando e alçando nossa criatividade em todas as áreas.

Há um leque de oportunidades escondidas, sempre à disposição de quem ousar abrir novas portas do saber.

Joakim Antonio



Imagem: Coringa by JoaKim

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Conversa estreita - Descortinando Cecília Meireles (poeta)



Ela não soube, ou até soube e eu que não sei, as conversas estreitas que poderíamos ter.

Iríamos jogar conversas fora e depois recolhê-las do ar, condensá-las em textos maravilhosos de aprendizados raros, e mesmo tentado a escrever diálogos, eu apenas narraria a beleza de beber dessa poesia que flui desse mar chamado Cecília.

Talvez discutiríamos sobre espaço-tempo, de como disputas tolas são vencidas por ele e as palavras certas passam através, então falaríamos um pouco de solidão, da autoimposta e da não esperada, do esquecimento pela ausência e de como a encontro bem menos do que ela merece.

Por fim, pediria conselhos de escrita da educadora, dicas de mãe da escritora e mostraria, com intenção de receber mais críticas que elogios, textos recheados de sonhos e destinados às novas e velhas crianças.

Agora fecho o livro e penso, com certeza ela soube.


Joakim Antonio


Motivo (Cecília Meireles)

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno e asa ritmada.
E sei que um dia estarei mudo:
- mais nada



Cecília Benevides de Carvalho Meireles (Rio de Janeiro, 7 de novembro de 1901 — Rio de Janeiro, 9 de novembro de 1964) foi uma poetisa, pintora, professora e jornalista brasileira. É considerada uma das vozes líricas mais importantes das literaturas de língua portuguesa.

Sua poesia, traduzida para o espanhol, francês, italiano, inglês, alemão, húngaro, hindu e urdu, e musicada por Alceu Bocchino, Luis Cosme, Letícia Figueiredo, Ênio Freitas, Camargo Guarnieri, Francisco Mingnone, Lamartine Babo, Bacharat, Norman Frazer, Ernest Widma e Fagner, foi assim julgada pelo crítico Paulo Rónai:

"Considero o lirismo de Cecília Meireles o mais elevado da moderna poesia de língua portuguesa. Nenhum outro poeta iguala o seu desprendimento, a sua fluidez, o seu poder transfigurador, a sua simplicidade e seu preciosismo, porque Cecília, só ela, se acerca da nossa poesia primitiva e do nosso lirismo espontâneo...A poesia de Cecília Meireles é uma das mais puras, belas e válidas manifestações da literatura contemporânea."

© Projeto Releituras Visite e conheça mais de Cecília Meireles. 

Manutenção


Estamos em manutenção, na academia, no corpo, na vida. Olhares internos abalam estruturas. As bases ficam, o excesso some. Menos a fome de viver. Essa não pode, porque sem ela a gente morre, mesmo que ainda respirando.

Estamos em manutenção, das palavras, dos gestos, dos malabarismos infinitos. Novos truques para enfrentar a corda bamba. Também há manutenção do sorriso, ele nunca some, faz parte de outras fomes, precisa ser mantido, sempre.

Estamos em manutenção de tudo, da casa, do bairro, do mundo. Alguns já aprenderam que sozinhos, tudo é mais difícil. Mas não vamos parar de falar, sobre o buraco mais embaixo. Só cai quem deixa o ego gritar mais, assim não ouve o grande aviso.

Viver é melhor em conjunto, gentileza é melhor devolvida, silêncio é morte, falar é vida.

Estamos em manutenção, para melhor ser_vir à tona.

Assim é!


Joakim Antonio


(tentando lembrar onde deixei um parafuso)



Imagem: By Joakim

domingo, 6 de novembro de 2016

Domingando


Sono manda. O tônus ideal se aconchega. Nada mais tem atenção. Estar em si é prioridade máxima. Compreende-se a essência dos glutões. A alquimia das delícias pesa nas pálpebras.

Joakim Antonio


Imagem: by Jordan Whitt
NIKON D750
85.0 mm f/1.8 1/300 s ISO 125




sábado, 5 de novembro de 2016

Para tudo


Para tudo

renego o negro 
em estado de luto

entro numa espiral
de negra luz

negro is beautiful

destituo o negro
do atrelo a negação

atrelada a negro tom
vozes ganham novo brilho

negro é bonito

aparto o negro
do bloqueio da visão

céu nublado me cega
negro me guiam estrelas

negro é beleza

Para tudo


Joakim Antonio


Conheça e curta: https://www.facebook.com/poetajoakimantonio

Imagem: Mama #Africa by Iheb003 

Preto no branco



Tem marcas, tem defeitos, barba mal feita, mas tem encanto. Aqui é preto no branco. 



Joakim Antonio



sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Vermelha


Com um lenço encarnado
um olhar encantado
uma carta na mão 

Assim que piso na terra 
lá vem gingando ela
me fazer confusão

É um diabo vermelho
de corpo sabão

É um deslize ligeiro
no proibido não

Pelas esquinas parado
com o bolso furado
o desejo na mão

Toda vez que ela chega
entorta e endireita
meu zói no coração

É um anjo vermelho
sem ficar corado

É um divino desejo
pelo seu versado

No meu caminhar diário
tomando o espaço
num puro tesão

Ela se fazendo de louca
toma minha boca
sem permissão

É um vestido vermelho
dançando como quer

É uma dona menina
uma querida mulher


Joakim Antonio


Imagem: Gitana by Limuel


Visite e curta: https://www.facebook.com/poetajoakimantonio

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Big Bang


Você escreve, lê, ouve, canta, dança, cria, aprecia, sorri, chora. Medita, extravasa, anda, para, corre. Deita na grama, coloca os pés no chão, na água, banha-se no rio, no sol, refresca-se no vento. Talvez você não note, mas só expira palavras porque inspira pensamentos, vindo de todos, conectados numa grande rede conhecida como, "Nosso Mundo".

Alguns visualizam uma grande teia, lindamente formatada, começo meio e fim, informações distribuídas sem ruído, a partir do centro, mas ela é maior que isso, se usarmos esse mesmo padrão, cada linha da teia está conectada a outra teia e assim por diante, sendo que até a menor brisa em qualquer ponto, disparará uma reação distribuída a todos os pontos, que mesmo que não seja visto, será sentido.

Hoje não é dia de brisa, aliás, não vivemos mais dias de brisa há tempos, você nunca se perguntou o porquê, de qualquer comentário aleatório postado, causar um grande furor nos comentários, qualquer vídeo, muitas vezes banal tornar-se viral, sendo paralelamente, muito criticado e aceito; a resposta é que vivemos tempos de furacão, o momento pede agir, as mudanças não estão vindo, ela já estão aí batendo na nossa porta e a pergunta já deixou de ser, se você quer, a pergunta é como você irá participar disso tudo.

Podemos nos fechar por um tempo, num escape de uma realidade em particular, mas não ao mundo, o meu e o seu, o nosso hiperconectado mundo. Visualize novamente e perceba, nossa rede nunca teve o formato de teia, pois nunca precisamos de fios.

Cada um de nós é um verdadeiro Big Bang!

Joakim Antonio


Imagem: Getto workout by Vishstudio

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Alcateia - Palavra Expressa



Eu finjo sempre não lhe ver
Tu me espreitas com tristeza
Ele não aparece mais
Nós éramos tão unidos
Vocês me deram casa
Eles me acolheram

Eu fujo sempre do dever
Tu me cobras sem palavras
Ele está na outra margem
Nós falamos sobre isso
Vocês me prepararam
Eles nunca me aceitaram

Eu viajava sempre pelos mundos
Tu me aceitavas disperso
Ele me queria centrado
Nós buscávamos o céu
Vocês me avisaram
Eles me queriam igual

Eu uivo sempre para a lua
Tu me acompanhas de longe
Ele há muito se calou
Nós falamos a mesma língua
Vocês me ensinaram ser
Eles me ouvirão de novo

Eu juro sempre te ver
Tu me vigiarás de perto
Ele me verá de longe
Nós seguiremos a trilha certa
Vocês me ensinaram tudo
Eles me aceitarão na alcateia

Joakim Antonio

"A força da alcateia vem do Lobo, e a força do Lobo vem da alcateia."


Publicado originalmente no site, Retratos da alma.


Imagem: Cunning Alpha by Khevyel

Name: Laika
(Sub)species: European Wolf (Canis Lupus Lupus)
Gender: Female
Age: 4 years (May 2008)

Localisation: Tierpark Olderdissen, Bielefeld, Germany

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Eu vi


Eu só queria saber, o porquê
das pessoas não gostarem
de várias coisas, mas principalmente
da felicidade alheia
até parece que eles a acham feia

Eu vi a foto de um menino
e ri leve, solto, gostoso mesmo
vendo ao fundo, outro sorriso
o do seu divertido filho
que menino mais lindo

Eu vi as frases da menina
e fiquei feliz demais
porque falava de sorrisos
que nunca duvidei
é a coisa mais bela
que ela sabe fazer

Eu vi o depoimento da filha
sobre a mãe querida
até lembrei da minha
e sorri ainda mais
poi vi, nela, cópia perfeita
do que, na mãe, gosta mais

Eu vi um projeto novo
uma casa engraçada
tem teto e endereço
mas não tem dono
ou melhor ainda
tem tantos quanto os sonhos

Eu vi um futuro
e sorri jogando-o fora
sem essa de esperar futuro
a hora de sorrir
sempre será agora


Joakim Antonio 


E eu vi tudo isso nesses últimos minutos, no mural de quatro amigos, quem disse que não dá pra ter coisa boa por aí! ;)


Imagem: Freestock
Canon EOS 5D Mark II
100.0 mm f/2.8 1/100 s ISO 125

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...